O que faz uma casa feliz?

Talvez você esteja pensando ‘pessoas felizes’, mas o que faz as pessoas felizes? Talvez uma casa feliz…

Papo estranho esse, hein!?

A casa é o lugar que mais reflete a nossa personalidade, nossa maneira de ver o mundo, de nos relacionarmos com as outras pessoas e conosco mesmos, concorda?

A proximidade do Natal nos deixa mais reflexivos e também mais abertos às mudanças, sejam elas íntimas, sejam em casa ou no trabalho.

Chega a parecer “obrigatório”, ao chegar o final do ano, fazermos uma avaliação do que foi até aqui e do que será daqui pra frente, né não?

Esse post é para apresentar esse “até aqui” e o “daqui pra frente” dessa que vos fala! [que estava muuuuito sumida desse espaço, aliás].

Até aqui designer de interiores, daqui pra frente produtora de eventos e cenógrafa… também!

Isso mesmo! Também estamos alinhando novos planos para o ano novo.

Nesse post eu divido com vocês um momento ímpar nesse novo trabalho que estou alinhavando com muito carinho: nosso primeiro workshop, ensinando as pessoas a receberem no Natal!

Sim, a época mais linda do ano, onde dividimos a ceia com as pessoas que mais amamos, quando alinhavamos novos planos, comemoramos as conquistas e agradecemos a Deus por todas as bênçãos recebidas até aqui.

A proposta foi apresentar uma mesa posta, mas fomos um pouco além. Como sempre…

Confira a seguir!

Foi realmente uma experiência incrível, de fazer os olhos brilharem de satisfação. Amo dividir inspirações, referências e conhecimento.

A interação com o público não poderia ter sido melhor. Pessoas de energia muito boa abrilhantaram ainda mais esse dia.

Eu só tenho a agradecer a todos que participaram. E que venham mais experiências como essa!

Se você ficou curioso para ver como ficou o resultado final da mesa, não deixe de nos seguir também pelo nosso novo IG @ericarocha_producoes. Aproveita para curtir e compartilhar.

Muito bom voltar ao blog e compartilhar com você esse novo momento. As mudanças vem vindo mas uma coisa não muda: nossa vontade de fazer mais e mais casas felizes.

Espero que continue nos seguindo por aqui e aproveitando o conteúdo de decoração de interiores e agora também de eventos que fazem a nossa vida mais leve e mais feliz.

Beijo e até a próxima.

 

Se tem uma pergunta que tenho ouvido bastante ultimamente é: O que é porcelanato líquido? E agregado a esta pergunta vêm muitas outras questões tais como de que é feito, se é resistente, como é aplicado… e por aí vai.

Então o post de hoje é para explicar o que todo mundo quer saber dessa “novidade” do mercado dos acabamentos de piso.

Primeiramente gostaria de explicar que o porcelanato líquido é um piso feito de resina. Até aí tudo bem, mas já existia um piso no mercado que também é monolítico, com acabamento homogêneo feito de resina, que é o piso autonivelante e que tem sido chamado de porcelanato líquido, embora seja diferente.

Sendo assim resolvi falar dos dois produtos, suas características e diferenças para acabar com essa intriga! rsrs

Como disse, os dois são feitos com resina porém um é feito de resina de poliuretano (porcelanato líquido) e o outro de resina epóxi (piso autonivelante). A partir daí as diferenças se desdobram, desde a maneira em que são assentados até sua apresentação.

Vamos às particularidades de cada um, então?

PORCELANATO LÍQUIDO

Esse piso é composto de resina de poliuretano (tipo de polímero termoplástico).

A aplicação é feita com rolo, tipo o de pintura, sobre uma superfície previamente nivelada.

aplicar porcelanato liquido

O nome porcelanato líquido se dá devido ao acabamento brilhante que lembra o porcelanato polido e possui três cores disponíveis: branco, bege e cinza.

É resistente a riscos e choques térmicos principalmente.

Pode ser usado em áreas internas e externas, inclusive em áreas molhadas.

cores poliuretano

 

PISO AUTONIVELANTE

Este piso é composto de resina epóxi, altamente resistente.

É aplicado espalhando a camada líquida sobre o piso existente, nivelando-o automaticamente, portanto pode ser aplicado sobre superfícies irregulares como pedra, cimento e cerâmicas sem nivelamento prévio. Além disso a espessura é mínima, de 1 a 3mm.

aplicação resina epóxi

Também possui acabamento brilhante porém pode ser feito em várias cores e com desenhos 3D, texturas e composições diversas.

cores resina epóxi

imitando mármore

cores desenhos

É bastante resistente química e mecanicamente. Não acumula sujeira e é bem fácil de limpar, sendo amplamente indicado para ambientes como hospitais, laboratórios e alimentícios.

Deve ser usado, preferencialmente, em áreas internas.

Ok, ok! Agora tenho certeza que você já entendeu direitinho quem é quem e onde deve ser aplicado. Aproveita e compartilha essas informações com seus amigos.

Ah! Tenho aqui dois vídeos que encontrei mostrando a aplicação do primeiro (à base de poliuretano) e do segundo (à base de epóxi) para ajudar você a tirar mais algumas dúvidas que porventura possam ter ficado.

Beijo e até a próxima!

Categorias: Arquitetura, Dicas

Quando o assunto é bancada de cozinha e banheiro, a escolha dos acabamentos está na lista dos “problemas” mais difíceis de resolver, principalmente se você está iniciando nessa aventura de construir ou reformar. As ofertas são inúmeras: granito, mármore, Silestone, Dekton, Nanoglass e por aí vai!

Por isso exigem pesquisa e o mínimo de conhecimento para o tiro não sair pela culatra, afinal o que queremos mesmo é sair satisfeito com o resultado final, certo?

Muitas coisas pesam na escolha desses itens, desde o apelo visual e estético, a resistência, a usabilidade e um item bem importante: o custo disso tudo!

Você sabe a diferença deles? Sabe quando usar o granito em vez do mármore? O porquê do Silestone e o Corian terem um custo mais alto? A diferença do Limestone para o Silestone?

Bem, para sanar um pouco essa enxurrada de dúvidas, fizemos um apanhado de informações que vão te ajudar na hora de decidir. Vamos lá conhecê-las?

 

MÁRMORE

fonte: Pinterest

Do grupo das pedras naturais, o mármore é bem conhecido como material clássico e elegante, mas também como material poroso e com baixa resistência ao tráfego intenso, no caso de uso em pisos; além disso tem veios pronunciados, desenhos homogêneos e possui uma boa gama de cores  e texturas.

É indicado principalmente para uso interno, com exceção de bancadas de cozinha por ter um alto grau de absorção de líquidos e outras substâncias que podem mudar seu aspecto, e para uso externo devidamente protegido dos raios solares, pois podem mudar a tonalidade com a exposição ao sol.

O mármore é um material leve, com baixa resistência a abrasão e que requer cuidados por conta da sua suscetibilidade.

 

GRANITO

2

Outra pedra natural bem conhecida e bastante abundante no Brasil é o granito.

Material mais resistente que o mármore, mas também com aspecto mais granulado, pode ser usado em áreas internas e externas, inclusive nas mais úmidas como as bancadas de cozinha, por ser um material com baixa porosidade e portanto baixa absorção de líquidos.

É ainda resistente à abrasão e a impacto, podendo ser utilizado em áreas de grande tráfego.

Possui uma boa gama de cores, porém todos com o aspecto mais granulado com presença de “pontinhos pretos” na sua aparência e, por ser facilmente encontrado na natureza, tem um custo mais acessível também.

 

LIMESTONE

Fonte: Pinterest

Também do grupo das pedras naturais, o Limestone tem as mesmas características do mármore mas consegue ser ainda mais poroso e delicado, com pouca resistência à abrasão, riscos e impacto.

Assim como o mármore, tem a apresentação mais homogênea mas requer bastante cuidado.

Precisa ficar longe de ambientes muito úmidos, substâncias como café, azeite, vinho, sumo de limão… nem preciso dizer que para bancada de cozinha ele pode ser repensado, né?

Dá para usar em revestimento de parede, mesas, balcões, pisos e bancadas onde não requeira tanto cuidado com a exposição a agentes externos e abrasivos.

 

MARMOGLASS E NANOGLASS

MARMOGLASS

Não, eles não são “a mesma coisa” como muita gente pensa. Apesar de suas características serem bem parecidas, na verdade o Nanoglass é uma variação melhorada do Marmoglass.

Ambos são feitos de pó de vidro e pó de mármore e tem como cor única o branco; no entanto, graças à nanotecnologia e o uso de resina agregada ao vidro, o Nanoglass é mais branco e não possui a formação de bolhas de ar, comuns na fabricação do Marmoglass.

Ambos são altamente resistentes a riscos, impacto e desgastes. Podem ser usadas em ambientes internos e externos e aplicados em paredes, pisos e bancadas, inclusive de cozinha por possuir baixa absorção de líquido

A única ressalva a ser observada é a exposição a altas temperaturas o que pode danificar o material, causando manchas e até rachaduras.

Muita atenção a isso caso você opte por eles na cozinha. Nada de panela quente em cima!!

Nanoglass

 

SILESTONE

SILESTONE

Ainda da família dos industrializados, composto basicamente de quartzo natural e resina de poliéster, o Silestone é um material bem versátil podendo ser usado principalmente em ambientes internos ou externos protegidos dos raios solares tais como bancadas, paredes, móveis, pisos.

Além de ter uma vasta gama de cores, tem a propriedade de ser antibacteriano. Ponto para a limpeza e higiene de ambientes como as nossas cozinhas, hein!?

Ao contrário do que alguns pensam, o Silestone é bastante resistente a impacto, abrasão e riscos e tem um grau de absorção de líquidos muito baixo. Cuidado apenas com temperaturas acima de 250ºC.

Todas essas características, porém, tem um preço (justo, é verdade!) e que precisa ser avaliado, visto custar um pouco mais caro que os citados anteriormente.

 

DEKTON

7

Alguém falou em custo benefício aí!?

Pois bem, o Dekton tem um custo ainda mais elevado que o Silestone, mas também apresenta todas as características do mesmo, no que diz respeito à resistência, baixa absorção de líquidos (quase nenhuma!) e ainda traz um plus: suporta altas temperaturas, podendo ser usado livremente em áreas externas, inclusive para revestir piscinas!

Pode ser usado ainda em móveis, pisos, fachadas, bancadas e possui vários acabamentos e cores.

Tudo bem que não é antibacteriano, mas quem tá ligando pra isso!? Hehe

 

CORIAN

corian

Ai, ai! Já posso dizer que esse é meu preferido!?

Claro que depende do caso, né? Mas vamos combinar que ter uma peça que pode se moldar ao nosso bel prazer é o sonho de qualquer profissional, né não?

Pois bem, o Corian além de ser extremamente resistente a riscos, desgastes e abrasão, tem baixíssima absorção de líquidos e é altamente moldável. Sem contar que suas emendas são praticamente imperceptíveis.

Tudo bem que, por possuir resina na sua composição, ele não aceita bem o calor em excesso podendo amarelar ou perder brilho mas a boa notícia é que pode ser recuperado facilmente. É ou não é pra amar?

corian

Então é isso, gente!

Quem ainda tem dúvida aí sobre esses queridos?

Espero ter ajudado a diminuí-las ou eliminá-las!

Aproveita que agora você é um expert e compartilha com os amigos essas informações.

Ah! E se tiver mais dúvidas ou algum comentário, estamos aguardando ansiosos.

Beijo e até mais!

Categorias: Dicas

imagem internet

Olá! Foram dias difíceis, esses últimos!

Por mais que se ouça falar o tempo todo do vírus transmitido pelo mosquito Aedes Aegypti, mesmo sabendo que o país passa por uma verdadeira epidemia e que não estamos protegidos o suficiente, só quando sentimos na pele o desagradável de contrair a doença que podemos falar de carteirinha: é péssimo, é perigoso, é desgastante!

Estou saindo de uma incursão nada agradável de 8 dias de febre, dores no corpo e muito mal estar. Foi uma eternidade pra mim! E, imaginem só, com um filho de apenas 8 meses precisando de cuidados!

Quem pensar em ir ao hospital que vá preparado para longas horas de espera, então sugiro que não vá logo nos primeiros dias porque, além de o diagnóstico não ser possível antes do sexto dia, com a indisposição que gera, fica muito difícil esperar tanto. Melhor ficar em casa, em repouso no quentinho das cobertas, ingerindo bastante líquido e tentando se alimentar bem!

Por falar no quentinho da nossa casa, esse post é para falar que aderi às telas de proteção contra o mosquito e que elas são um achado! Permitem proteção, não comprometem a ventilação e nem a estética.

Confesso que, a princípio, pensei que fosse um recurso “anti-estético” uma vez que teria um elemento cobrindo todas as janelas da minha casa, porém ao conhecer os modelos disponíveis pude ver que são praticamente imperceptíveis e isso me agradou bastante!

Podem ser fixas, mas também podem ser móveis! Muito leves, fáceis de limpar, feitas de material resistente às intempéries (válido principalmente para as fixas que não são recolhidas, faça chuva ou faça sol) e podem ser instaladas também nas portas.

Com tanta gente adoecendo ao nosso redor, com a necessidade que temos de nos proteger e proteger a nossa família, agradeço a existência desse recurso tão eficaz e recomendo porque protege mesmo e não compromete a beleza das nossas lindas casas!

Vejamos abaixo alguns modelos instalados.

encaixada

Encaixe perfeito na esquadria de alumínio

modelo fixo

Tela fixa do lado de fora da casa.

modelo fixo2

Quase imperceptível, pode ser de alumínio natural, bronze ou branca.

porta da sacada

Pode ser de correr para portas de sacada.

porta de giro

E tem modelo para porta de giro também.

Se você ainda não aderiu à essa novidade, agora posso falar porque senti na pele: corre e se protege também! Vale a pena o investimento na prevenção.

Aqui os contatos da empresa que instalou aqui em casa, que forneceu as fotos e que, certamente, atenderá aos meus clientes daqui para a frente: É o fim da picada SLZ (3304-6420/ 98757-0471/ 98156-9995)

Saúde a todos!

Categorias: Dicas